terça-feira, 26 de agosto de 2008

REESTRUTURANDO A VIDA APÓS UMA ADAPTAÇÃO FORÇADA


Rute: capítulo 1

Quase sempre ouvimos falar de pessoas que migraram de uma região para outra devido a falta de emprego. Não sei se é porque vivo em uma região de produção agrícola (cana de açúcar), mas sempre que pergunto á uma delas porque decidiram vir para a nossa região a resposta é sempre a mesma: “viemos á procura de trabalho para sobrevivermos”. Pensando nisso, em uma conversa com uma pessoa conhecida, lembrei- me dessa família que precisou sair da sua terra natal, para buscarem meios de sobrevivência em uma outra região desconhecida. Essa experiência não é diferente da experiência vivida por uma família nos tempos bíblicos.
A história de Rute aconteceu no tempo em que Israel era governado por juizes. Naquele tempo não havia rei em Israel e cada um fazia o que bem queria. Este era um tempo de idolatria, imoralidade e prostituição. Cada Geração era pior do que a geração dos seus pais. Nesse tempo houve grande fome em Israel, por isso Elimeleque e sua família (esposa e dois filhos Maalon e Quilon) deixam Belém a casa do pão e vão para Moabe. Algum tempo depois Elimeleque morre e seus filhos se casam com moças moabitas. Como se não bastasse após 10 anos os dois jovens morrem também, deixando sua esposas Rute e Órfa viúvas e desamparadas. Noemi fica só, sem esposo e sem filhos. Mas em algum momento desse desespero Noemi descobre que Deus estava abençoando o povo em Belém com fartas colheitas. E ela decide voltar tendo como única companheira sua nora chamada Rute. Diz o texto que Órfa decide voltar para a sua parentela e recomeçar a vida longe de sua sogra. Quando Noemi e Rute chegam em Belém Noemi movida pela desesperança pede para que as mulheres daquela cidade, chamem-na pelo nome Mara (que significa amarga). E aqui começa uma nova fase na vida dessas três mulheres que precisam recomeçar. No entanto podemos aprender algo com essa história. Lições que nos ajudarão a entender que não basta recomeçar, preciso recomeçar bem. Com elas aprendemos que:
Tragédias são uma realidade na vida. Diferente do que pensamos e geralmente é pregado, o natural no dia a dia não é que aconteçam milagres a todo momento. Na verdade as vezes o que ocorrem são sucessivos momentos de apatia. O texto diz: houve uma grande fome em Israel na época dos juízes. Como se não bastasse, Elimeleque morre e Noemi ficou viúva. Depois de alguns anos seus filhos se casam e morrem também. Entra no quadro da história mais duas jovens viúvas que dependeriam de Noemi. Poderíamos ver essa situação como se Deus estivesse provando Noemi Órfa e Rute. Só que precisamos entender que apesar de os momentos de apatia e tragédias na vida são maiores que os momentos de milagres, milagres ainda acontecem e não devemos parar de crer nessa verdade. Nos versículos que seguem dá um tempo de dez anos, e após dez anos, Noemi ouve falar que Deus visitou seu povo.
No momento de tragédia não é hora de mudanças radicais. Não é hora de sair do lugar onde estamos por causa da fome que atinge a nossa vida. Pois, na maioria das vezes que um homem decidiu mudar de lugar por causa da situação difícil que estava enfrentando, ele se metia em encrencas. Temos como exemplo Abraão, sempre que descia para o Egito e deixava a vontade de Deus arrumava confusão.
Vemos que Noemi sai da casa do pão junto com seu esposo Elimeleque,para um lugar chamado Moabe. Depois de algum tempo lá, ela perde tudo o que havia levado, esposo e filhos. E sem um sustentador, elas passam a padecer necessidade. Em momentos de desespero somos tentados a sair de onde estamos. Somos tentados a recomeçar em outro lugar. E nos esquecemos que a qualquer momento, Deus pode visitar o seu povo e a nossa sorte mudar de repente. Nesses momentos não é hora de mudanças, porque geralmente não estamos em condições emocionais de decidirmos nada. As perdas nos fazem deixar de raciocinar devidamente.E quem consegue decidir a sua vida em momentos como esses? Vemos que a mudança aumentou ainda mais o problema de Noemi. Nesses momentos é hora de nos apegarmos mais e mais as promessas do Senhor que disse que jamais se esqueceria do seu povo.

A Reação a Adaptação Forçada Influencia a Reestruturação da Vida.
Trocando em miúdos: a minha reação diante dessa situação é o que vai determinar o meu futuro. As pessoas numa situação assim podem tomar diferentes atitudes, e essas atitudes vão designar o seu futuro.
Noemi: amargurou-se: sua atitude, foi a de sentir a ausência de Deus.
Foi a de sentir que Deus era o culpado por ela estar passando por aquela situação. Como Noemi, tendemos a atribuir a Deus os males da nossa vida. E nessa atitude podemos nos amargurar profundamente. Há pessoas que não conseguem sorrir mais devido aos constantes baques que a vida lhe dá, e por isso não conseguem enxergar a graça de Deus em nada em sua caminhada.
Órfã: recomeçou a vida só pensando em si mesma: ela despediu-se de sua sogra e voltou para a sua família, e nunca mais ouviu- se falar dela. Essa é a atitude daquele que constantemente diz: eu mereço ser feliz. Eu preciso pensar em mim, no meu futuro. Não há espaço para mais ninguém, nem para aqueles que me ajudaram no decorrer da minha existência.
Como Rute aprendemos: que podemos recomeçar a nossa vida reassumindo nossos compromissos.
Ela se comprometeu a ficar com Noemi, sua sogra viúva e sem condições de sustento. E não se esqueceu daquela que estava passando por uma situação pior do que a dela, e por isso se esforçou em providenciar alimento. Se comprometendo a proteger a sua reputação. Lutou com esforço em cuidar daquela que cuidou dela em outra fase da sua vida. Como Rute nós podemos recomeçar a vida, no meio das tragédias que nos assola, assumindo compromissos maiores. Decidindo lutar para melhorar, decidindo dar a volta por cima. Deus espera essa atitude de cada um de nós. E no futuro Deus prepara algo melhor do que esperávamos. Deus pode nos abençoar quando: Decidimos florescer no deserto. Quando decidimos lutar ao invés de nos amargurarmos. Quando decidimos não nos fechar apenas em nossas dores, mas sim, seguimos em frente olhando sempre para o autor e consumador da nossa fé.

Nas tragédia da vida, quando precisar adaptar-se, você pode amargurar-se, lamber as suas próprias feridas e pensar só em você mesmo.
No entanto você pode se levantar e recomeçar sabendo que há compromissos a serem assumidos. Que há alguém por quem vale a pena lutar ainda na sua vida. Por isso levante-se e como Rute decida mudar o quadro da sua existência.

Que Deus nos abençoe!!

Pr. Fábio Ramos

Nenhum comentário: