quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Desbravadores de Cristo: Abrindo Caminhos para a Salvação.

Série: Evangelho de Marcos.
Texto: Marcos 1:1-8.
Introdução: Você já parou pra pensar em quantas estradas cortam o nosso país? Rodovias que hoje dão comodidade e acesso á regiões que antes eram praticamente impossíveis de serem alcançadas. Mas a verdade é que nem sempre foi assim. Se não fosse os chamados hoje desbravadores algumas áreas do nosso país ainda estariam inalcançáveis e algumas espécimes de fauna e flora que hoje conhecemos, com certeza não conheceríamos hoje. Desbravadores são assim, abrem caminhos por áreas ainda não percorridas.

Transição: Assim também ocorre no Evangelho de Marcos. Marcos começa a escrever o seu evangelho (que leva o seu nome), ilustrando a vida e o ministério de João Batista. Primo de Jesus, filho de Isabel e Zacarias. Separado no ventre para desbravar uma estrada ainda não percorrida, mas que seria ao seu tempo transitada pelo personagem mais ilustre que já existiu na face da terra... o filho de Deus. João Batista aparece certo dia pregando no deserto, e sua mensagem era de conteúdo duro, impactante e desafiadora. Mas, mesmo assim diz a palavra que todas as províncias das redondezas saíam ao seu encontro para ouvi-lo e serem batizados por ele com uma promessa diferente. Que após ele viria alguém que traria algo muito melhor do que ele estava oferecendo. Traria o batismo no Espírito Santo. Sendo assim, quais as implicações do capítulo um para os nossos dias? Quais lições estão inseridas no texto que devem ser enfatizadas e aplicadas a nossa vida hoje?

I) A minha vida pode ter a ver com o que é pré-dito nas escrituras como plano de Deus para esse mundo. (v:2-4).



- O texto no versículo 2 nos mostra uma profecia datada sete séculos antes de Cristo pelo profeta palaciano Isaías, anunciando o precursor do Messias. (Is 40:3).
- Essa é uma citação de Isaías,onde Deus prepararia o mundo para essa vinda de Jesus. Mas antes no versículo 2, Marcos cita também a profecia dada por Malaquias. (Ml 3:1). Profecia essa dada quatrocentos anos antes de Cristo.
- Malaquias foi o último profeta do AT.. A geração apóstata do período pós-exílico questionava a promessa da vinda do Messias. Malaquias diz que o Senhor vai enviar o seu mensageiro, mas, que quando ele viesse, trarias juízo para os impenitentes. Como emissário do Rei, ele vai adiante removendo as pedras e os obstáculos do caminho. Exatamente como ocorria com os grandes imperadores, o seus mensageiros iam a frente removendo as barreiras, tapando os buracos etc... João era esse mestre de obras que veio reconstruindo as estradas espirituais para a vinda o rei da glória o Messias esperado.
- Mas o que é interessante: Será que João em toda a sua vida,adolescência e juventude sabia que ele era esse precursor do Messias esperado em Israel?
- Imagine João Batista brincando em sua adolescência e na sua juventude. Com certeza ele sabia que era diferente,pois seus costumes eram de alguém assim (Lc 1:15), mas, ser o precursor do Messias? Será que seus pais disseram a ele sobre seu futuro? Será que ele começou a se preparar desde cedo? Imagine isso. Não abemos ao certo, mas podemos imaginar.
- Agora eu lhe pergunto: você consegue se ver fazendo parte de um projeto tão grandioso assim? Será que em algum momento da sua existência você será separado pra algo que já está predito nas escrituras? Creio que sim,pois a Palavra do Senhor nos fala sobre a Igreja que não seria destruída e isso está acontecendo. A Bíblia fala de grandes descobertas, e em nossos dias com o avançar da tecnologia, homens, e muitos deles homens de Deus tem efetuado grandes descobertas para os nossos dias. A palavra do Senhor fala do Espírito separando doutores, mestres, evangelistas, Pastores etc... e temos visto cada dia mais Deus separando homens e mulheres como ele já havia predito na sua Palavra. E que sabe você nem sabia que isso iria acontecer com você à alguns anos.
- A minha vida e a sua podem fazer parte de um grande propósito do Senhor. Sem que nós nem mesmo saibamos.
- Mas em algum momento,nós podemos estar desbravando caminhos tortuosos, e aplainando montes... para que venha o Messias.

II) Devemos entender e pregar que Batismo tem a ver com renúncia. (v:4).



- O que é o batismo? Qual o seu significado?
- Se feito com o verdadeiro propósito, é o sepultamento do velho homem. É o sepultar das coisas velhas que estavam em nossa vida, pensar, falar e viver.. para o renascer de um novo homem,agora dominado e guiado por Deus e sua vontade.
- Se não for assim, entendemos que a pessoa apenas tomou um banho no rio e nada mais aconteceu. Suas vontades continuam as mesmas etc...
- João sabia disso: por isso antes do batismo pregava o arrependimento para a salvação.
- Esse arrependimento e a renuncia são fatores chave para o batismo. Você pode dizer: mas eu não fiz nada pra Deus!!! Mas a palavra de Deus diz que por um homem entrou o pecado no mundo, logo nós todos pecamos... Rom 5:12. pois a raiz do pecado se espalhou e tem se espalhado mais e mais em nossos dias. E a única maneira de mudarmos isso é através do arrependimento e confissão de Cristo na nossa vida. João 14:6.
- Essa renuncia nos leva a servirmos a Deus de todo coração entendendo que isso não é feito por força, mas com espírito de gratidão por tão grande salvação que nos é oferecido sem nem mesmo sermos merecedores.

III) Devemos entender que aquele que leva a Palavra possui um diferencial visível à todos. (5-6).



- Que diferencial seria esse que atraía multidões à confessar seus pecados e a batizar-se num rio? As vestes de João... de pelo de camelo? sua alimentação à base de gafanhotos e mel silvestres? É evidente que não. Apesar de uma boa apresentação ser muito útil para a apresentação da palavra de Deus em nossos púlpitos, mas, o real diferencial buscado em todo pregador, seja ele grande ou iniciante na ministração da Palavra é a autoridade dada por Deus para pregar eloqüentemente as suas verdades sem medo,ou temos, mas com ousadia em Sua presença para a conversão de almas.
- Autoridade: eis o diferencial daquele que traz eficazmente a palavra transformadora de Cristo.
- Afinal,onde você viu um pregador chamar pessoas de raça de víboras e mesmo assim obter êxito na sua pregação?
- A autoridade é o princípio de tudo na vida e deve ser buscada sempre diante do pai através da oração,para que o Espírito do Senhor venha sobre nossas vidas e sejamos cheios desse poder transformador (dinamus), de vidas.

IV) Entender que a visão é a glorificação de Cristo e seu reino, e não de si próprio. (7).



- Quando encontramos homens que estão a procura de se auto promoverem, encontramos João Batista, o nascido de mulher, que segundo Jesus ninguém era e nem seria maior do que ele nesta terra se rebaixando e dizendo que o maior era o Cristo que viria depois dele e faria coisas tremendas na vida do homem.
- Apesar de todo pregador estar constantemente em evidência, devemos aprender que só é possível ter sucesso na vida ministerial quando subjugamos nosso eu, à servidão de Cristo.
- Esse princípio tem sido esquecido no decorrer dos anos, e muitos tem se tornado verdadeiras estrelas brilhantes nessa terra, onde a glória visível de Deus tem sido ofuscada.
- Assim, perde-se o sentido daquilo que no início do ministério havia, a glorificação do Messias e seu reino nessa terra. Desbaratando o reino do inferno e de seus anjos através da única bênção que produz arrependimento. A palavra de Deus!
- Ilustração: conta-se que no dia da apresentação da Bíblia de estudo Shed, seu elaborador (Russel Shed), foi louvado por quem o apresentou como o Doutor, isso e aquilo...etc.. quando o Dr. Shed teve a oportunidade de falar revelou profunda tristeza pois aquele trabalho que com certeza só tinha peso de glória para o galardão nos céus, havia sido recebido todo aqui na terra!
- Eis a postura de um homem de Deus!!!

V) Entender que o batismo tem a ver com o poder de Cristo e não do homem.(8).



- Sendo assim entendemos que toda ação sobrenatural nesta terra, independente de qual seja, curas, milagres, ressurreição, batismo no Espírito nada tem a ver com o homem. Isso não emérito de ninguém e sim de Deus.
- Os dons espirituais são distribuídos à Igreja para o fortalecimento e edificação da mesma. Ele,o Espírito é que resolve e escolhe a quem selar com determinado dom. a busca se faz necessária, no entanto, quanto ao cumprimento dele em nossa vida e sua manifestação para restauração de uma pessoa só é mérito de Cristo em nossa vida e não tem sua fonte em nós mesmos.
- Somos como meros refletores da luz e do poder de Cristo, assim como os astros que não possuem luz própria, e sim reflete a luz do sol, nós também não possuímos, refletimos a glória do unigênito do Pai.



Conclusão: Então quando vemos alguém sendo citado como grande homem de Deus usado em milagres curas e maravilhas, devemos entender que isso não combina com o perfil de homem de Deus, pois todo homem de Deus sabe que suas realizações tem sua fonte em Deus por sua misericórdia, e que terrível seria se não o fosse!





Que Deus nos abençoe!!


Pr. Fábio Ramos


IPR- Marília-SP

Nenhum comentário: