quarta-feira, 3 de junho de 2009

ESTÁGIOS NO PROCESSO DE CURA.




Série de mensagens pregadas no evangelho de Marcos

Marcos 2: 1-12.

Introdução:




Gosto das histórias que contam a trajetória de uma pessoa em direção ao milagre. As vezes ouvimos testemunhos na Igreja, onde irmãos testemunham uma graça de Deus em sua vida e glorificamos ao Senhor por isso. Mas o que me fascina é ouvir os caminhos que levaram aquela pessoa ao concretizar do milagre em sua vida. Na verdade na maioria das vezes não entendemos que para algo diferente e sobrenatural acontecer em nossa vida é preciso que pequenas atitudes, mas que fazem toda a diferença, sejam tomas antes. O milagre que se dá na Igreja geralmente é resultado de um telefonema de um irmão que diz: vou te ajudar, venha comigo na Igreja e tenho certeza que Deus vai fazer um milagre em sua vida. Ou quem sabe de uma oração em casa dizendo: Deus... eu preciso de um milagre hoje Senhor!!! Ou quem sabe de até mesmo de uma campanha de oração, um caminho que foi trilhado regado de oração e de ajuda de outras pessoas.

Transição:




Essa com certeza é a história desse paralítico sem nome de Cafarnaum... nome, com certeza ele tinha, mas foi melhor que o evangelista Marcos não o tenha relacionado porque assim pode ser identificado por qualquer pessoa. porque essa é a história de muitas pessoas nos dias de hoje. Muitos anônimos tem sido alcançados por Cristo de forma surpreendente. Diz o texto que Jesus está em Cafarnaum e ali ele entra em uma casa para ensinar, Lucas 5: 17 vai mais longe, diz que o Espírito de Deus, ou a virtude do Senhor estava sobre ele para curar. O que com certeza resultou em muitas curas e libertações naquela casa. Sabendo disso, a bíblia diz que quatro homens trouxeram um paralítico e procuravam faze-lo entrar e pô-lo diante do Senhor.Mas por não conseguirem por haver uma multidão que tomou toda a casa, eles o faz descer pelo telhado à presença de Cristo, o que resultou na cura desse paralítico. Esse texto é bem explicativo, mostrando-nos não só o milagre em si, mas todo o processo que antecedeu a cura desse paralítico. Assim, também ocorre com tantos outros milagres e curas que ocorrem na igreja de Cristo. Muitos pensam e atribuem ao pregador, evangelista ou líder de uma determinada congregação a cura realizada. No entanto, sabemos que todo milagre tem seu início antes mesmo de chegarmos à igreja, através da fé de outras pessoas que nos levam ao lugar da realização da cura em nossa vida, assim como diz o texto... v: 20... vendo-lhes a fé... Sabendo disso, o que podemos aprender com esse texto? Quais lições ficam registradas para a nossa própria vida hoje?

Nesse processo de cura precisamos:

I) Saber que os verdadeiros amigos são aqueles que se comprometem a lutar conosco em todo momento. (v: 3-4).

- Isso nos cabe na escolha e valorização dos nossos amigos, mas também nos ensina como devemos reagir como verdadeiros amigos e irmãos em relação a outras pessoas.
- Isso porque sabemos que algumas pessoas nunca chegarão até Jesus sozinhos.
- Os motivos podem ser os mais variados possíveis: o impedimento de se mover devido os músculos espirituais atrofiados etc...
- Esse era o estado do paralítico de Cafarnaum. Ele estava impedido de se mover devido a falta de movimento de suas pernas e sua coluna vertebral paralisada. A doença já havia atingido áreas motoras do seu cérebro. Sendo assim só havia uma maneira: sendo carregado.
- Ainda hoje há muitas pessoas que não irão à casa de Deus por si só, a não ser que sejam levadas por amigos e colocadas aos pés de Jesus.
- Para isso temos que termos sensibilidade e visão para sabermos onde Jesus está agindo e também termos em mente que o nosso papel é leva-las a Jesus ou sermos levados à Jesus. Nós podemos não convertê-las, mas podemos leva-las aquele que pode. Esse é o maior sinal da consideração e amizade sincera.
- É aí que entra a figura dos verdadeiros amigos.
- Quem sabe alguém já lhe fez o convite para estar indo à igreja... não pense mal. Essa pessoa só está querendo leva-lo aquele que pode transformar a sua vida radicalmente. O convite não é para fazer parte de um clubinho espiritual, mas para conhecer e estar diante daquele que tem a virtude do Senhor para curar e que usa hoje homens comuns, mas continua agindo ainda hoje poderosamente.
- Esses homens são tão responsáveis pela cura do paralítico quanto o próprio Cristo. Pois a fé deles e o companheirismo não só nos momentos de prazer, mas, também nos momentos de sofrimento fizeram com que uma cura ocorresse em Cafarnaum naquele dia.
- Não deixe de convidar, de levar alguém a Cristo, pois você pode estar prestes a testemunhar o agir de Deus.

- Nesse processo de cura precisamos:

II) Saber usar nossas capacidades especiais de superação. (v: 4)

- O texto diz que eles não conseguiram levar o paralítico pelos meios normais, pois havia uma multidão fechando todas as entradas para o interior da casa. Menos uma: o telhado.
- Você levaria alguém à entrar em uma Igreja, ou casa pelo telhado? Dificilmente não é?
- Mas aqui aprendemos que para levarmos alguém a Cristo muitas vezes precisamos ser mais do que realmente somos: precisamos ser criativos e persistentes.
- Apesar do peso do paralítico, onde eles poderiam dizer: está muito pesado vamos deixa-lo aqui, eles foram pelo jeito mais difícil.
- Quero que você saiba que sempre haverá dificuldades para levar alguém até Jesus. Pois sempre haverá uma multidão à sua frente.
- Mas o texto diz que eles levantaram-no até o telhado. Um método engenhoso, mas muito perigoso, pois ao invés da cura eles poderiam terminar de matar o paralítico. Mas a disposição dos homens estava acima de toda e qualquer barreira. Eles queriam leva-lo à Jesus e não importava como.
- Isso fala de assumir riscos, de despender um esforço a mais, de trabalhar em equipe de ter visão acima do normal. De ficar depois do milagre arrumando o telhado da casa onde o amigo havia sido curado.
- Eles poderiam esperar, poderiam deixar pelo caminho, mas Deus estava agindo naquela hora e eles não podiam ficar fora daquele mover de Deus. Aquela era a hora.
- A visão determina a maneira de viver. A visão determina a ação. Determina o que eu preciso fazer para chegar ao meu objetivo e o que vai me custar. Saber onde se quer chegar e como chegar lá através de um planejamento é o principal motivo de muitas pessoas não conseguirem ter êxito. Pois Visão: é uma imagem do futuro que produz paixão! Que você continua vendo ainda quando fecha os olhos! Sonha com aquilo, acorda e continua vendo mesmo que algo custoso será exigido...
- Um milagre custa muito caro a muitas pessoas: a alguns muitos anos de oração, a outros dias de noites em claro acompanhando a pessoa alvo da cura. Quem sabe uma longa caminhada devido a distância, ou uma conta telefônica muito alta. São grandes e pesados desafios. Mas o resultado final é o desejo de cura para a pessoa amiga. Esse é o alvo: estar diante de Cristo.
- Você está disposto?

III) Saber que enquanto nos preocupamos com a cura do corpo, o alvo de Cristo sempre será a cura e salvação de sua alma. (v: 5).



- Quão importante sabermos disso!
- Para muitas pessoas a cura do corpo é o motivo de estarmos diante de cristo todos os dias. Não que Jesus não se importa com isso. Ele se importa com tudo o que acontece conosco em nosso dia-a-dia.
- No entanto a preocupação sumária de Cristo está constantemente sendo declarado no evangelho. E apesar de a cura física estar entrelaçada com e espiritual. Apesar de ser um retrato do que ele (Jesus), está querendo fazer com a humanidade nesses tempos, pode ter certeza de uma coisa. Ele quer te salvar!
- Lucar 19 a declaração de Cristo é incisiva: O filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido (Lc 19:10).
- Aquele paralítico vivia num completo ostracismo social, abandonado à sua triste sorte. O seu corpo estava surrado pela doença e sua alma assolada pela culpa. (os judeus entendiam que um paralítico nascia ou tornava-se paralítico por punição Divina). A debilidade e a imobilidade eram as marcas da sua vida. Era um homem cativo da doença e prisioneiro da esperança.
- A declaração de Cristo trouxe cura, perdão, alívio, força e dignidade.
- Jesus o restaura publicamente, mesmo que censurado pelos fariseus Jesus oferece perdão ao paralítico e a oportunidade de não somente ser restaurado fisicamente, mas de ser salvo para a eternidade.
- O pecado é a pior tragédia que pode acontecer na vida da humanidade. Ele é a causa primária de todas as mazelas da vida. O pecado é a pior doença que se aloja na vida do homem. Jesus sabia o que estava fazendo. Suas palavras são o retrato do que precisa acontecer com toda humanidade. Pois tudo o que há de ruim: solidão, enfermidades, tristezas etc... não podem nos separar do amor de Deus. Mas o pecado pode não somente hoje, mas na eternidade.
- Para muitos hoje, Jesus está oferecendo ambos. Toda cura é uma oportunidade para se aproximar de Deus e jamais deixa-lo. Aproveite a oportunidade.

Conclusão:



- Jesus curou o homem fisicamente. Seus pés se afirmaram, seus artelhos ganharam força, seus nervos atrofiados voltaram a funcionar, seus músculos explodiram com nova vitalidade e o homem entrevado saltou da sua cama cheio de vigor. A cura do paralítico foi imediata, completa, perfeita e gratuita. Jesus tem autoridade para perdoar e para curar ainda hoje. Ele é o mesmo ontem hoje e sempre será. Ele é o Jeová-Rafá, aquele que sara todas as nossas enfermidades. A cura do paralítico produziu glorificação, salvação e reintegração. Todos exaltaram a Deus exceto os escribas, o paralítico foi salvo e automaticamente teve a oportunidade de retornar para a sua família. Um novo tempo começou.


E pode começar em sua vida.
Você quer? Estás disposto a se gastar por isso?


Então busque a superação e conte com amigos fiéis em sua vida!




Que Deus nos abençoe!!!




Pr. Fábio Ramos


IPR- de Marília-SP.

Nenhum comentário: