quarta-feira, 22 de julho de 2009

UMA VIDA CRISTÃ AUTÊNTICA.


Série de mensagens pregadas no Evangelho de Marcos.

Marcos 2:18- 28.

Introdução:


Com certeza já ouvimos muitas vezes essa declaração: vida cristã autentica. Mas o que ela quer dizer? Será que uma vida cristã autêntica significa estar na igreja todos os dias? Fazer boas obras? Ser temente à Deus? Com certeza para o verdadeiro cristão essas coisas também fazem parte de sua vida. No entanto, uma vida cristã autêntica está acima daquilo que nós imaginamos. E com certeza ela pode ser vivida, ou alcançada nessa terra. Não é algo inalcançavel, ou uma utopia, ou um estilo vivido apenas por Cristo. Afinal o termo cristão denota exatamente isso: Pequenos Cristos. Ser um imitador de Cristo, ou ser parecido com Cristo ao ponto de exercer aquilo que ele pregava. Isso aconteceu no passado com as primeiras pessoas que decidiram seguir seus ensinamentos. Atos 11:26 diz que após os discípulos passarem todo um ano em Antioquia, eles foram pela primeira vez chamados Cristãos. Ou seja pequenos Cristos. Porém, em nossos tempos e em tempos remotos, o termo foi se generalizando à todos aqueles que criam em Cristo (em Deus), ou em seu ministério. Hoje em dia a forma mais usada para aqueles que são seguidores de cristo é o “crente”. No entanto, dentro dessa grande massa de gente crente existente no mundo, existem os verdadeiros cristãos. Aqueles reconhecidos não só de nome. Mas, aqueles que realmente seguem a Cristo e buscam fazer a sua vontade e ministério por onde passam. Mas, quem são eles? Como podem ser reconhecidos? Como se comportam? Para isso usaremos o texto de Marcos 2:18-22. E ao analizarmos as atitudes e os ensinamentos de Cristo entenderemos exatamente como podemos viver uma vida Cristã autêntica.

Transição:


O local ainda é Cafarnaum, cidade que era margeada pelo mar da Galiléia. Uma área densamente povoada. Nessa cidade também ficava alojada a guarnição romana que mantinha a paz em toda a região. Cafarnaum era uma mescla de culturas e povos, porém, muito influenciada pelas maneiras, vestimentas, arquitetura etc... E isso de certa maneira, assim como nos dias de hoje era o que predominava na distinção de um temente a Deus,ou não. Porque os fariseus estavam mais preocupados com a aparência de santidade do que com uma vida cristã piedosa e verdadeira. Estavam mais preocupados com as críticas do que com o encorajamento; com a responsabilidade social do que com a aprovação de Deus. E Cristo com seus ensinos está se tornando uma ameaça para essa forma farisaica de viver. Por isso ele usa exemplos, figuras e parábolas em seus ensinos. E é nesses ensinos e na atitude do próprio Cristo, que nós conseguimos entender as características de uma vida cristã autêntica.

I) Jesus nos mostra que uma vida cristã autêntica está baseada em: entender que aquilo que creio deve ser tão forte evidente que não me permite voltar, aceitar ou me deixar calar diante de algo contrário. (V:18-19).


- Para uma vida cristã autêntica, não há espaço para negação daquilo que Cristo me propõe.
- Muitas pessoas hoje se calam diante daquilo que é considerado maioria. Na verdade nós aprendemos isso desde cedo: a maioria vence. E muitas vezes nos esquecemos de que ser cristão muitas vezes é caminhar sozinho, nadar contra a correnteza, e assim por diante.
- Jesus nos ensinou isso, Mateus 10:34-39. Haverá momentos que nem mesmo dentro da nossa própria casa encontraremos abrigo por estar com Jesus.
- Quantas pessoas hoje, não se relacionam mais com seus entes queridos pelo fato de confessarem a Cristo como Senhor. São chamados de crentes medíocres, de quadrados etc...mas em nenhum momento essas pessoas deixam ao Senhor devido a certeza de que aquele que revelou a elas um vivo caminho não pode ser negado. Que as experiências adquiridas através da sua palavra não lhes permitem voltar a trás.
- Olhe para o texto. Jesus está sendo indagado com sentido de reprovação pelos discípulos de João. Isso pode ser melhor visto no evangelho de Mateus 9: 14-17. No pensamento deles a forma que Jesus e seus discípulos viviam iam contra aquilo que eles criam. Isso causou neles indignação ao ponto de confrontar a Cristo. Mas isso não causou impacto ou mudança em Jesus fazendo-o procurar saber se ele havia errado, ou seus discípulos estavam errados. Muito pelo contrário. Jesus conhecia a lei, e sabia quantas mudanças havia sido feitas pelos fariseus acerca de muitos assuntos. Mas a verdade é que Jesus entendendo a intensão do coração deles rebateu as intensões de cada um deles.
- Ser cristão não é viver como todo mundo pensa ou age. Cristianismo não é democracia, cristianismo é estilo de vida, maneira de viver e proceder em todo momento.
- E sabendo disso, tem muita gente que por medo de ser reprovado pelas pessoas (crentes), se enquadram nos moldes que essas querem que eles vivam. Não estamos aqui tratando de normas institucionais, afinal elas são necessárias. Porém, precisamos entender que princípios cristãos não são auterados de acordo com o que acho ou não. Jesus, demonstrou isso. Não se escondendo e nem cedendo, mas rebatendo as críticas e falatórios dos discípulos de João e dos fariseus.
- Essa capacidade de viver a graça de Deus, tanto na multidão quanto sozinho é o que define aquilo que realmente cremos.

II) Jesus nos ensina que uma vida cristã autêntica não é uma vida de aparência. (V:19-20).

- Jesus não estava indo contra o jejum. Pelo contrário. Ele já havia jejuado e ensinou que augumas vitórias os discípulos só teriam se consagrassem e jejuassem. Que o Jejum era um importante exercício devocional.
- Mas, o que Jesus estava despresando e desaprovando era a prática do jejum dos hipócritas que jejuavam e depois desfiguravam o rosto para parecer piedosos e mostrar que estavam jejuando. Pois para eles, a piedade era medida pela tristeza do jejum. Isso denunciava uma vida de aparência. Mas para o cristão verdadeiro a piedade denota-se pela alegria da presença do noivo.
- Jesus mostra isso ligando a figura do casamento. Aqueles que já se casaram entendem bem a declaração de Cristo. Não há semana mais especial. Não há dia mais feliz. Sem falar na festa que segue a união. Entes queridos, familiares e amigos juntos. Pois o noivo e a noiva estão começando uma vida nova com esperança de felicidade.
- Vida Cristã não é uma vida de aparência ou de tristeza. Apesar de muitas vezes sermos medidos por nossos trajes e nossa maneira de falar, ou de sermos. Jesus deixa bem claro que a vida cristã autêntica é uma vida de coração quebrantado e não de rosto desfigurado. De alegria e não de tristeza. Pois ela é comparada à um casamento e não a um funeral.
- Nesse dia em especial os professores da lei interrompiam seu estudo da Torá e inimigos se reconciliavam. Tudo devido a festa da noiva com o noivo. Adolf Pohl.
- Jesus veio trazer vida abundante.
- Mais do que isso. A vida cristã deve ser a fruição de uma alegria inexplicável e cheia de glória.
- Na verdade a igreja não é apenas o grupo de amigos do noivo, ela é a própria noiva de Cristo. E por isso devemos deixar para traz o legalismo farisaico e a vida de aparência e inaugurar um novo tempo de liberdade. Pois a vida em Jesus é uma oportunidade de trazer alegria ao triste, alimento para o faminto e salvação para aqueles que estão perdidos no pecado.

III) Jesus nos ensina que a vida cristã verdadeira não aceita remendos. (v:21-22).

- Muita gente tem medo de arriscar, e vivem remendando a sua vida.
- E como diz o próprio Cristo: remendo novo em pano velho abre uma fissura ainda maior.
- Tentar colocar vinho novo em odres velhos pode vir a perder o vinho. Pois o odre velho perde a elasticidade o que leva a romper o odre em caso de fermentação do vinho.
- Saiba você que a vida cristã autêntica não é apensa um verniz naquilo que já envelheceu, mas algo totalmente novo.
- Analisando a história nos dias de hoje compreendemos o porque de algumas decisões tomadas no passado pelos pais reformadores foram tão importantes e radicais: não dava para reformar os abusos doutrinários da Igreja. Foi assim com Lutero, Calvino, Policarpo e outros . Por isso eles acabaram lutando pelo novo e não por um remendo.
- Era necessário uma volta ao cristianismo primitivo. O antigo sistema da lei precisava ser substituído pela salvação em Cristo.
- No texto vemos Cristo ensinando que não dava pra ficar baseando a vida num legalismo de letras mortas, quando Deus tinha para cada pessoa um evangelho transformador, que liberta e salva enquanto a lei farisaica fazia perecer.
- Você não pode viver o novo de Deus se sua vida está pautada em tradições e legalismo. Nada contra velhas doutrinas, elas ainda dão direção em muitas circunstâncias da nossa vida. No entanto, muitas pessoas ainda dão mais atenção ao templo do que ao Deus do templo, nas vestes do que no ser humano, nas programações do que na salvação de almas.
- Isso com certeza leva ao legalismo hipócrita que ao invés de fazer a igreja crescer, mata e definha aquela que deveria ser o meio de alcançar vidas que precisam de Cristo.
- Se você quer viver uma vida cristã autêntica, não fique remendando meios e métodos que não trazem salvação.
- Peça pra Deus fazer tudo novo em sua vida.
- Eu gosto também do antigo. Mas sei que mesmo lá no passado nós já tínhamos um grito dentro de nós que pedia por algo novo em nossa vida.
- Gosto do cântico que diz: eu quero ser, Senhor amado, como vaso nas mãos do oleiro. Quebra a minha vida e faça de novo, eu quero ser, eu quero ser um vaso novo.
- Sem remendos, mas um vaso novo.

IV) Jesus ensina que o conhecimento profundo da Palavra produz crentes verdadeiros e livres do legalismo. (25-26).

- O que é mais importante: o sábado ou o homem?
- Jesus mostra através do livro de Samuel (Ism 21:1-6), que apesar de os pães da proposição só serem permitidos aos sacerdotes comer, que a necessidade humana prevaleceu sobre a lei cerimonial.
- Com isso ele mostra que os pães da proposição nunca foram tão sagrados como quando salvaram vidas.
- Essa deve ser a visão também a respeito do sábado.
- Os fariseus estavam numa disputa, e até mesmo maquinando algo pior do que transgredir o sábado. Eles pensaram em matar o Cristo por muitas ocasiões. Tramavam em tirar a vida do filho de Deus por causa do sábado.
- Para eles o sábado era o dia em que ninguém deveria transgredir. No entanto, essa lei não servia para eles. Pois, se um animal estivesse morrendo no atoleiro eles tinham liberdade para livrar o animal, no entanto aceitavam que as pessoas morressem no sábado sem a ajuda de Cristo.
- E Jesus sabendo disso aplicou três princípios bíblicos para rebate-los: O que Davi fez (Mt 12:3-4), o que os sacerdotes fizeram, (Mt 12:5-6) e o que o profeta Oséias diz (Mt 12: 7-9). Se Davi tinha o direito de ignorar as provisões cerimoniais,muito mais O Crristo, filho de Deus.
- Jesus mostra que o sábado nunca foi tão sagrado como quando o é para prestar ajuda. Pois o homem vale mais do que todos os ritos existentes no mundo.
- Conheço muitas Igrejas que perderam e lançaram muitas almas fora por causa de ritos e crenças que a Bíblia não diz. E por isso ainda hoje pagam pelo excesso de zelo pelo rito sagrado e o descaso com as pessoas.
- Que Deus nos ajude a voltarmos. Como aquele famoso cântico muito cantado em nossas Igrejas:
Eu quero voltar, ao primeiro amor, ao primeiro amor
Eu quero voltar á Deus.
- Com certeza você sabe as áreas de sua vida que precisam de mudança radical.
- Você sabe quais princípios estão precisando ser alterados em sua vida.

Conclusão:


Peça pra Deus sabedoria para interpretar a sua Palavra, pois ela não é mais um livro que só deveria ser interpretada pelos papas, padres e pastores. Ela está em cada casa, nas mãos de cada crente. E mais do que servir para dar testemunho de que você é um crente ela pode ser usada para conhecer a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Então procure estuda-la. Jesus rebateu em suas principais lutas, não com palavras grosseiras ou na força do braço,mas no conhecimento da Palavra. Ela ira trazer a luz em seu coração e produzir algo novo em você.
Então.... o que estás esperando.... corra para a palavra e seja verdadeiramente livre!!!


Pr. Fábio Ramos

IPR- de Marília-SP

Nenhum comentário: