terça-feira, 22 de setembro de 2009

DETALHES DE UM DIA DE MILAGRES


Marcos 3:20-30

Série: de mensagens pregadas no Evangelho de Marcos.

Introdução:


Um culto maravilhoso. Uma noite de bênção e conversões. Temos buscado isso a cada culto que participamos aos domingos. Confesso que quando vou a igreja fico ansioso. Alguma coisa de Deus pode acontecer a qualquer instante. Domingo foi assim (20/09). Estivemos na igreja e o que Deus realizou me deixou muito feliz. Pessoas quebrantadas. Conversões e um mover de Deus tremendo na igreja. Um dia onde mais do que curas físicas, vimos a presença do Santo Deus entre nós. E isso é o que faz toda a diferença.

Transição:


fico imaginando como deveria ser gostoso por onde Jesus passava. Hoje já sentimos algo inexplicável, imagine naqueles dias! Jesus está começando o seu ministério. Ele acabara de escolher os 12 homens a quem dispensaria todo o seu tempo para ensina-los e formá-los pregadores. E quando ele vai até uma casa. Casa essa que o evangelista Marcos não se preocupou em nos informar. No entanto, essa casa se torna o alvo de muitas pessoas que disputam um lugar para estar mais próximas de Jesus. Impedindo-os de se alimentar. Nessa situação toda ocorrem algumas coisas: 1) pessoas são curadas e libertas. Como no caso da cura de um cego e mudo. O que acabou evidenciando para a multidão que Jesus era o Messias esperado. 2) seus familiares o recriminam. E eles vem para prende-lo dizendo estar fora de si. 3) os escribas atribuíam suas obras a Belzebú. Tornando Jesus ainda mais ardiloso perante a multidão, dizendo que ele fazia o bem premeditadamente. 4) Jesus ensina sobre o único pecado que jamais será perdoado. Vamos entender os fatos que podem ocorrer ainda hoje na vida de muitas pessoas, assim como ocorreu na vida de Jesus em um dia de muitos milagres.

I) O pecado transformou a vida do homem num caos, que o faz procurar a qualquer custo a solução para o seu mal. (20).


- O poder do pecado é destrutivo.
- Tudo o que sofremos hoje tem origem nesse mal.
- Porque sofremos? Quem sabe essa tem sido a pergunta de muitas pessoas.
- E ao analisarmos a nossa vida associada aos fatos bíblicos desde os primórdios, logo após a queda diferente do que diz a teoria da evolução, o homem vem se auto destruindo a cada dia.
- Gosto da declaração de Gênesis 6: 5 “e viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente”.
- Quando medito nesse texto entendo o porque de tanto sofrimento em nossos dias.
- Não é diferente os dias dos descendentes de Caim para os nossos.
- O homem tem produzido um nível de maldade infinita nesses dias. Mães abandonando filhos, famílias se auto destruindo, enfermidades que nunca havíamos ouvido falar antes surgindo e trazendo um estado de caos à nossa sociedade. Estamos vivendo presos, reféns de nossos próprios medos dentro de nossas casas.
- Aprisionados em temores de dias ruins que não acabam nunca.
- Quer saber como anda a sociedade? Não precisa ligar a TV. É só dar uma passada nos prontos socorros de sua cidade. Nos asilos de idosos que encontraram mais acolhimento do que nos próprios lares e ficam abandonados pela família, (isso se falando de instituições sérias, não daquelas clandestinas e de pessoas despreparadas que vemos por aí, que ao invés de cuidar batem e judiam dos nossos idosos).
- O homem é mau em seu interior. E como naqueles dias, ele ainda continua mau. E essa maldade tem se proliferado por toda a terra ao ponto de já nos dias de Paulo sua afirmação ser tão incisiva: “Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora.” (Rm 8:22).
- O que produzimos só pode ser mudado pelo poder de Cristo.
- Quando me deparo com pessoas vindo a igreja todos os cultos desesperadas e precisando de soluções urgentes entendo que está acontecendo o que já nos dias de Cristo acontecia. As pessoas estão cientes de que só Cristo tem soluções para os problemas da humanidade hoje.
- Uma multidão está indo todos os dias em nossas igrejas à procura de soluções para o caos que se instalou em suas vidas.
- E esse é o momento da igreja ter algo mais do que simples palavras, mas ter o poder de Deus para restauração de todo aquele que se achegar em busca de soluções para seus problemas.
- A multidão foi até Jesus porque sabia que ele estava disposto até mesmo deixar de comer para ajudar ao homem em seus dilemas.
- Esse deve ser o papel da igreja.

II) Devemos entender que ao fazermos a obra do Pai, nem sempre seremos compreendidos. (21).


- Jesus está realizando milagres, ensinando o povo, curando não só as dores do corpo, mas trazendo cura para os corações feridos, e a sua própria família está tramando prende-lo e levá-lo embora como louco.
- Jesus estava tão atarefado que não tinha tempo nem para comer. E por isso eles o consideraram fora de si, chegando a duvidar de sua sanidade mental.
- Não é de se duvidar que muitas pessoas ainda hoje questionam muitos homens e mulheres de Deus naquilo que estão aplicados a realizar.
- Lembro-me de uma história de Madre Tereza de Caucutá: que sabendo que não podia salvar a Índia inteira, propôs em seu coração socorrer os menos favorecidos,os que estavam morrendo. Um dia um jornalista trajando um elegante terno e acompanhado por um câmera confrontou-a com uma série de perguntas. Entre elas queria saber porque ela gastava seus recursos limitados com pessoas que não havia mais esperança? Porque não cuidava de pessoas com possibilidades de recuperação? Qual era a média de pessoas reabilitadas em seu hospital? Já que as pessoas no máximo agüentava cerca de dias ou semanas? Madre Tereza olhava para ele em silêncio, observando todas as perguntas, tentando descobrir por trás daquela fachada de repórter de sucesso que tipo de pessoas faria tais perguntas. Por não ter respostas que satisfizessem , ela disse meigamente:
- Essas pessoas tem sido tratadas a vida inteira como cães. A maior enfermidade delas é saber que são desprezadas. Será que ela não tem o direito de morrer como anjos?
- A verdade é que assim como Cristo e sua família, muitas vezes não somos compreendidos no que fazemos ou realizamos na obra de Deus. E pra dizer a verdade. Nem precisamos esperar isso.

III) O homem na sua loucura e falta de experiência com Deus, tem por hábito julgar o que lhe é desconhecido. (22).


- Não é interessante que os escribas não consigam enxergar a ação de Deus através de Cristo?
- Não é de assombrar que aqueles que copilavam textos sagrados décor e salteado não consiga se lembrar das palavras dos profetas a respeito do Messias esperado?
- A verdade é que muitas pessoas até conhecem os textos. Até sabem o que a Bíblia diz. Mas,por não terem ainda uma verdadeira experiência com Deus não conseguem atribuir a Deus a glória que lhe é devida diante de uma grande milagre.
- Os escribas vêem Jesus fazer maravilhas. Mas, não conseguem enxergar o poder de Deus atuando através de Cristo.
- Pelo contrário, eles atribuem à Belzebu as obras de Cristo.
- Sabemos que quando uma pessoa está enraivecida ela só consegue enxergar o mal numa pessoa. Mesmo se o que a pessoa está fazendo é o bem.
- Jesus está curando enfermos, e expulsando demônios. Mas, os escribas acham que a atitude de Cristo são ruins e malignas.
- Viam-no como um baderneiro.Por isso, não podiam enxergar o amor de Deus trazendo cura e libertação através de Cristo.
- Hoje em dia as coisas caminham pelo mesmo sentido. Temos visto dentro do próprio evangelho a briga entre pentecostais e tradicionais. Temos visto ainda brigas entre os da visão celular e os da igreja convencional. E assim por diante.
- Simplesmente porque falta-nos experiência com Deus para saber que independente do segmento cristão, ou o método de crescimento que adotamos, Deus está atuando na terra por sua multiforme graça. Através de pentecostais e tradicionais. Através do evangelismo nas casas, ou nos cultos de libertação na igreja, Jesus tem procurado salvar almas que ele por amor morreu por elas.
- A nossa briga, é a mesma dos escribas.
- Questionamos e declaramos ser uma ação maligna no meio do arraial evangélico para tirar-nos a paz.
- Quando na verdade é a ação de Deus agindo de maneiras diferentes para agregar ao seu rebanho ovelhas que ainda não conseguiram encontrar o lugar que venham se sentir bem.
- Devemos nos questionar mais a respeito disso, e vermos se essa atitude não está nos levando a agir como os escribas e fariseus.

IV) Jesus não tem por objetivo provar nada a ninguém, mas sim, falar ao coração daqueles que estão abertos e dispostos a ouvi-lo. (23).


- O texto diz que Jesus chamou-os a sí.
- Jesus chama nossa atenção para si.
- Ele nunca teve intenção de provar a sua deidade.
- Ele nunca buscou a glória terrestre entre os homens.
- A bíblia fala que ele se esvaziou de sua glória. Fp 2:5-8.
- Vejo constantemente pessoas tentando provar sua fé as pessoas.
- Tentando mostrar que Jesus realmente vive e continua agindo em nossos dias.
- Mas nunca o vi na bíblia sagrada tentando se provar a ninguém.
- É exatamente o que o texto diz. Que Jesus sendo questionado pelos escribas ele os deixa de lado e fala com seus discípulos que estavam atentos aos seus ensinamentos.
- Nos podemos agir da mesma maneira. Quando questionados, injuriados nos atermos somente aquilo que Jesus quer nos ensinar ainda nos dias de hoje.

V) Jesus nos ensina que para todo propósito deve haver união. (24-27).


- E isso não somente no que é bom. Ele nos mostra que até mesmo os demônios se querem ser bem sucedidos precisam agir em comum acordo.
- Quanto mais aqueles que querem fazer algo de bom nessa terra.
- Como igreja, precisamos entender isso se queremos ter êxito em fazer algo nesta terra.
- Jesus sabia da importância da união e intercedeu para que a sua igreja fosse unida. “Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. (Jo 17:21)”.
- Podemos pregar bonito, ter bons ministérios na igreja e até ter boa intenção e disposição. No entanto se não tivermos união o mundo não saberá que Deus é quem nos enviou.

VI) O Maior pecado que pode existir é considerar as obras de Deus como sendo do Diabo. E para isso não há perdão. (28-30).


- Já vi muitas pessoas questionarem sobe o pecado sem perdão na igreja. Algumas ficam preocupadas e outras não acreditam que podem cometer algum pecado que não pode ser perdoado.
- Jesus é incisivo no que diz respeito ao pecado sem perdão.
- Todas as blasfêmias com que o homem blasfemar ele terá perdão. Porem aqueles que cometer blasfêmia contra o Espírito Santo esse não será perdoado.
- Que pecado é esse?
- É o pecar conscientemente e deliberadamente contra um conhecimento claro da verdade é com certeza evidencia da blasfêmia contra o Espírito Santo, e por natureza, esse pecado faz o perdão ser impossível, visto que a única luz possível de trazer entendimento é deliberadamente apagada.
- A blasfêmia contra o Espírito é a atitude consciente e deliberada de negar a obra de Deus em Cristo pelo poder do Espírito e atribuir o que Cristo faz ao poder de Satanás.
- É dizer que Cristo é aliado de Satanás, em vez de estar engajado contra ele. João Calvino entendia que o pecado imperdoável é uma espécie de apostasia total.
- Por isso quando alguém afirma que algo de Deus é proveniente de Satanás está com a mente tão cauterizada que lhe é impossível ver a ação de Deus.

Conclusão:


Por isso para terminar gostaria de citar o Rev. Hernandes dias Lopes: Primeiro: devemos evitar o julgamento e deixarmos a decisão à Deus sobre quem atravessou essa linha divisória.Somente Deus sabe se alguém pecou para a morte eterna. Segundo: precisamos evitar o desespero com a sabedoria de que: ninguém pode sentir tristeza pelo pecado sem a obra do Espírito. Quem comete esse pecado jamais se entristece por ele. Terceiro:Evitar a leviandade: aqueles que zombam de Deus e da sua graça podem cruzar essa linha invisível e perecerem para sempre. Por isso busque direção e respostas em Deus quando se ver em um culto,ou em um momento onde coisas extraordinárias acontecerem, antes de acusar como sendo da carne ou de Satanás.

Pr. Fábio Ramos
IPR- de Marília-SP.

Nenhum comentário: