sábado, 2 de janeiro de 2010

Pequenas Sementes Para um Grande Reino.


Série: Mensagens Pregadas no Evangelho de Marcos.

Marcos 4; 26-34


Introdução:


Lembro-me de quando criança ainda nos primeiros anos de escola das aulas de biologia quando fazíamos experimentos com caroços de feijão. Lembro do susto que tivemos em sala de aula quando ao entrarmos no laboratório após dois dias encontramos não só o caroço de feijão mas uma pequena muda que brotava do interior da semente. Não é surpreendente como as sementes seguem um curso acelerado rumo a frutificação que lhe foi proposta? Estamos com problemas aqui em casa. Há uma semana um jardineiro veio dar fim numa praga que se chama tiririca. Quem já não teve um problema desses no seu quintal? Mal o senhor havia terminado de carpir e no dia seguinte lá estavam os pequenos brotos surgindo de novo. A vida é assim. E porque esperamos que o reino de Deus seja diferente? Porque achamos que a semente lançada é uma perda de tempo? Porque achamos que temos o controle do crescimento da Igreja e do reino?

Transição:


Gosto dessa parábola que Jesus contou aos seus discípulos. Ele começa dizendo que um homem qualquer, qualquer um, poderia ser você ou eu, lançasse a semente e saísse para os nossos afazeres. E como aconteceu comigo, ao acordar no outro dia a grata surpresa, ( ou no meu caso a não tão grata surpresa assim), os pequenos brotos estivesse começando a dar sinais de que a semeadura não vai falhar, ela vai dar o fruto esperado. Mesmo que seja uma pequena semente como o grão de mostarda (a menor de todas as sementes) haverá colheita para a vida. Algumas lições são importantes para nossa real compreensão a respeito do reino e das realizações em nossa vida.

I) Qualquer crescimento depende antes de tudo da vontade de Deus. (26-27).

- Jesus foi muito feliz na declaração de que o homem lançou a semente, mas apesar do cuidado que queremos ter com aquilo que semeamos só veremos os frutos se Deus permitir que isso aconteça. O homem não forçou, não contou uma história, não lançou um pó mágico e nem chamou o broto a sair da semente. Diz o texto que ele simplesmente a lançou na terra e para a sua surpresa ao chegar no campo no outro dia, ele encontrou a semente cumprindo o seu curso segundo o que Deus havia proposto para ela. Embora o semeador não viu inicialmente nenhuma evidência e resultado do seu labor, a semente trabalhou por si mesma no ventre da terra. A semente tem vida em si mesma, e o Espírito Santo trabalha eficazmente nela através dela para a expansão do reino.
- A palavra de Deus, que no caso aqui é simbolizada pela semente cumprirá seu fim como Deus assim o quiser, independente de nossa ação para que isso aconteça: Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei. (Is 55:11).
- Nossa função é lançar a semente (da Palavra ou dos sonhos) e tirar as ervas daninhas ao redor desse plantio. Mas o germinar e o frutificar é a parte que não temos controle. Não podemos fazer a semente crescer. Isso pertence a Deus.
- Vejo constantemente gente bem instruída caindo nesse erro. Acham que pelo próprio talento que tem poderá fazer com que as coisas de Deus caminhe. Quando na verdade, o Senhor da obra é quem tem o controle de tudo e quem dá o crescimento. A verdade é que sem Deus não podemos realizar nada na vida. O Salmos 104:29-30 é bem claro quanto a isso: Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras o fôlego, morrem, e voltam para o seu pó. Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra.
É por isso que o apóstolo Paulo foi certeiro na sua colocação a esse respeito: I Coríntios 3: 6-7. Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento.
Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento.

- Você e eu podemos crescer na vida, no entanto jamais devemos nos esquecer de que apesar de todos os nossos talentos e dons que facilitam nosso crescimento, Deus precisa estar nesse negócio. Assim cumpriremos o fim proposto para nós. E nem mesmo as hostes do inferno poderão roubar a semente plantada em nós, destinada a produzir frutos para a glória de Deus.

II) Os projetos de Deus, assim como sua obra, tem começos modestos, mas sua finalidade é tornar-se grande. (30-32).

- Penso no que Jesus estava pensando quando fez essa afirmação: O reino de Deus... é como um grão de mostarda que, quando se semeia na terra, é a menor de todas as sementes que há na terra; mas, tendo sido semeado, cresce, e faz-se a maior de todas as hortaliças...
- Queridos o reino chegou a este mundo com um bebê deitado numa manjedoura.
- Seu ministério teve início com 12 homens iletrados.
- Na verdade, como diz o Ver. Hernandes Dias Lopes: “A semente de mostarda é um símbolo proverbial daquilo que é pequeno e insignificante”.
- Aos olhos do mundo, o reino de Deus e o começo da igreja, reveste-se de consumada fraqueza.
- Mas a verdade é que os grandes resultados desenvolvem-se a partir de pequenos começos.
- Pra tudo na vida.
- Quantas pessoas começaram algo de forma simples, parecia que não ia vingar, e com o tempo e o trabalho os frutos surgiram, o crescimento veio de forma exponencial ao ponto de tornar-se grande.
- Assim é a vida: grandes carvalhos surgem da pequena noz.
- Não podemos desprezar o dia dos pequenos começos. Pois eles poderão tornar-se em grandes empreendimentos.
- Dewey Mulholland diz: “que o reino de Deus é como tal semente, seu tamanho atual e aparente insignificância não são de modo algum, indicadores de sua consumação, a qual abrangerá todo o universo”.
- Sejam analfabetos, doutores, príncipes e reis. A verdade é que a semente do reino foi plantada um dia e as ramificações e os frutos desde os discípulos passando pelos pais da Igreja chegando aos nossos dias tem se espalhado por toda a terra.
- E com certeza acontecerá aquilo que foi dito pelo profeta Habacuque: “Porque a terra se encherá do conhecimento da glória do Senhor, como as águas cobrem o mar. (Hc 2:14)”.

Conclusão:


A igreja continua crescendo em todo o mundo. Da mesma maneira homens e mulheres simples tem lutado e trabalhado para o crescimento. Aparentemente nos sentimos impotentes quanto à esse crescimento. Mas na verdade, apesar de não podermos ver, e não termos o controle desse crescimento, os quatro continentes do mundo tem sido afetado por essa semente e com certeza os fiéis seguidores em todas as partes da terra, e sua fé, por menor que seja, poderá unir-se a de seus irmãos para realizar grandes coisas. Seja para Deus,ou para si. Partindo de coisas insignificantes, mas tornando-se grandes em Deus.

Pr. Fábio Ramos

1ª IPR de Paraguaçu Paulista-SP.

Nenhum comentário: